COM O TEMPO UMA IMPRENSA CÍNICA, MERCENÁRIA, DEMAGÓGICA E CORRUPTA, FORMARÁ UM PÚBLICO TÃO VIL COMO ELA MESMO

Joseph Pulitzer

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Humildade sorôdia ou esvaziamento de ideias ?

Orlando Lopes é diretor-geral do Hospital Nacional Simão Mendes, da Guiné-Bissau, e está no Centro Hospitalar do Médio Tejo numa missão para conhecer a realidade e dinâmica dos diferentes serviços do CHMT e gestão hospitalar. 


“Aceitei o desafio para gerir o Hospital Simão Mendes, há três meses, e esta missão vai ajudar muito para melhorar o serviço no Hospital Nacional Simão Mendes. Só hoje já aprendi muita coisa. Estou muito satisfeito. Sei que tenho um desafio enorme, enormíssimo mesmo, que é fazer algo para melhorar os cuidados na prestação de serviços, reorganizar os serviços no Hospital, e nestas poucas horas que estou aqui já aprendi imenso, disse Orlando Lopes.

O diretor-geral do Hospital Nacional Simão Mendes espera “ter muita informação e muitos documentos para poder adaptar à minha realidade. Obviamente que nem tudo pode ser replicado no meu Hospital, mas vou tentar adequar, na medida do possível, os ensinamentos que levar daqui. Estou muito contente porque aqui vou aprender muitas coisas para aplicar na Guiné-Bissau”. Para isso Orlando Lopes vai “visitar todos os serviços, falar com todos os diretores de serviço, saber como funcionam e ver toda a parte administrativa. Vim com vontade de aprender”.

O Conselho de Administração do CHMT manifestou “toda a disponibilidade para acolher o diretor-geral do Hospital Nacional Simão Mendes, numa parceria com o Instituto de Higiene e Medicina Tropical e da Fundação Calouste Gulbenkian… que financiou a deslocação de Orlando Lopes, tendo consciência da oportunidade que é para este responsável da saúde Guineense o contacto com outras realidades e no que isso possa representar para a melhoria dos procedimentos de organização hospitalar no hospital que é referencia para a população Guineense, que é o Simão Mendes.

A escolha do CHMT deve-se, também, ao facto do presidente do Conselho de Administração, Carlos Andrade, conhecer bem a realidade hospitalar do PALOP’s tendo estado já por diversas vezes no próprio Hospital Nacional Simão Mendes. Desta forma procura-se assim potenciar o máximo aproveitamento da missão de aprofundamento de conhecimento do diretor-geral do Hospital Nacional Simão Mendes.



Sem comentários:

Publicar um comentário