COM O TEMPO UMA IMPRENSA CÍNICA, MERCENÁRIA, DEMAGÓGICA E CORRUPTA, FORMARÁ UM PÚBLICO TÃO VIL COMO ELA MESMO

Joseph Pulitzer

terça-feira, 3 de maio de 2016

Amnistia Internacional Portugal escolhe Pedro A. Neto para diretor-executivo

A secção portuguesa da organização de defesa dos direitos humanos Amnistia Internacional (AI) anunciou hoje a nomeação de Pedro A. Neto para o cargo de diretor-executivo.


“Ter o privilégio de servir uma organização como a Amnistia Internacional é uma honra enorme. O bom trabalho que aqui desenvolver pode salvar vidas, pode construir um mundo onde as pessoas possam viver em paz, usufruindo dos direitos e deveres humanos que têm. É esse o foco", disse Pedro A. Neto, em comunicado da organização não-governamental (ONG) enviado à agência Lusa.

Pedro A. Neto, de 37 anos, foi presidente da organização não-governamental para o desenvolvimento (ONGD) Orbis-Cooperação e Desenvolvimento, em Aveiro, em que realizou vários projetos nos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) e no Brasil.

Desde 2004, desenvolveu várias missões de voluntariado no interior de Angola, num campo de refugiados do Alto-Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) e posteriormente em Moçambique, Guiné-Bissau, Cabo Verde, na Amazónia e em Marrocos.

Licenciado em História, fez pós-graduações em Ciências da Educação, em Ciências Religiosas e em Direitos Humanos, sendo mestre em Gestão e Administração Pública. É doutorando em Políticas Públicas.

Um júri internacional da AI escolheu Pedro A. Neto de entre cerca de uma centena de candidatos para suceder no cargo a Teresa Pina, que deixou as funções em dezembro.

A AI é um movimento global de sete milhões de pessoas, que luta para pôr fim a abusos de direitos humanos em todo o mundo.

Em 2016, a organização celebra 55 anos de existência global e 35 anos da presença em Portugal.
 
 
 
 

Sem comentários:

Publicar um comentário