COM O TEMPO UMA IMPRENSA CÍNICA, MERCENÁRIA, DEMAGÓGICA E CORRUPTA, FORMARÁ UM PÚBLICO TÃO VIL COMO ELA MESMO

Joseph Pulitzer

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Cabo Verde reafirma compromisso de cooperação militar com a CPLP

"Reafirmo a disponibilidade e empenho de Cabo Verde em colaborar com a CPLP na construção de iniciativas no domínio da defesa, que visem, fundamentalmente, o fortalecimento, a cooperação e o aprimoramento das Forças Armadas, e em contribuir para a manutenção de paz e segurança internacionais", disse o ministro da Presidência do Conselho de Ministros, Fernando Elísio Freire.


O ministro presidiu ao encerramento do exercício militar em substituição do seu colega da Defesa, que está em Nova Iorque para participar na Assembleia-Geral das Nações Unidas.

O exercício militar Felino2016 da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), que decorreu durante duas semanas nas instalações da chefia do Estado Maior das Forças Armadas de Cabo Verde, juntou na cidade da Praia, 90 militares dos nove países que integram a organização lusófona.
O Felino2016, que tem como objetivo a preparação de uma força conjunta da CPLP, otimizando a sua capacidade de intervenção em missões humanitária e de paz, decorreu no formato carta e antecede o exercício com forças no terreno agendado para o próximo ano no Brasil.

Portugal participou no exercício com 10 elementos dos três ramos das Forças Armadas - Exército, Força Aérea e Marinha.
O exercício decorreu no continente fictício "Gama", "instalado" em três pisos do edifício do Estado Maior General das Forças Armadas (EMFA) e onde, ao longo de duas semanas, os militares foram confrontados com situações simuladas de incidentes para testar a capacidade de reação das diversas forças.

Todas as ações foram executadas com recurso a mapas, cartas e meios de comunicação e, os cenários simulados no formato Exercício em Carta (EC), serão depois aplicados na modalidade Exercícios com Forças no Terreno (EFT).
Segundo o oficial coordenador do exercício, Armindo Miranda, ao longo de duas semanas as delegações de militares foram confrontadas com 41 incidentes, tendo resolvido 33, o que representa uma taxa de sucesso de 80 por cento.

O ministro da Presidência sublinhou a importância dos exercícios Felino, considerando tratar-se de uma oportunidade para aprimorar e harmonizar a interoperacionalidade das Forças Armadas dos Estados Membros da CPLP.

O Exercício Felino2016, em que participaram delegações de Angola (9), Brasil (17), Guiné-Bissau (5), Guiné Equatorial (7), Moçambique (2), Portugal (10), Timor-Leste (10) e São Tomé e Príncipe (2), terminou com a entrega simbólica da bandeira da CPLP ao chefe da delegação do Brasil, acolhe o Exercício Felino 2017.



Sem comentários:

Publicar um comentário