COM O TEMPO UMA IMPRENSA CÍNICA, MERCENÁRIA, DEMAGÓGICA E CORRUPTA, FORMARÁ UM PÚBLICO TÃO VIL COMO ELA MESMO

Joseph Pulitzer

domingo, 27 de outubro de 2013

PM de Cabo Verde garante que CEDEAO manteve data de eleições na Guiné-Bissau

O primeiro-ministro cabo-verdiano garantiu sábado que a cimeira extraordinária da CEDEAO, que decorreu na sexta-feira em Dacar, manteve 24 de novembro como a data das eleições gerais na Guiné-Bissau.



(foto: lusa)

O primeiro-ministro cabo-verdiano garantiu sábado que a cimeira extraordinária da CEDEAO, que decorreu na sexta-feira em Dacar, manteve 24 de novembro como a data das eleições gerais na Guiné-Bissau.
PUB
Em declarações à agência Inforpress em Dacar, José Maria Neves indicou também que os chefes de Estado e de Governo da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) exortaram as autoridades de transição guineenses, no poder desde o golpe de Estado de 12 de abril de 2012, a empenharam-se nos preparativos do processo eleitoral.
Segundo José Maria Neves, apesar das dúvidas quanto à existência de condições para a realização das eleições, já que a menos de um mês do escrutínio, o processo de recenseamento eleitoral ainda não arrancou, a CEDEAO continuou a pressionar a realização das eleições para o mais breve quanto possível.
"Há sempre dúvidas se estarão reunidas todas condições, até porque ainda não se começou o processo de recenseamento eleitoral. Mas a data mantém-se, para continuar a pressionar as autoridades de transição e os partidos políticos para a realização da votação o mais rapidamente possível", referiu.
José Maria Neves lembrou a disponibilidade de Cabo Verde para apoiar tecnicamente o ato eleitoral, mas assegurou, que a questão vai ser acompanhada de perto pela CEDEAO e que os recursos financeiros estão a ser mobilizados.
José Maria Neves indicou que, durante a cimeira, teve oportunidade de falar com o presidente de transição guineense, Serifo Nhamadjo, a quem manifestou a disponibilidade para apoiar as eleições, mas apenas do ponto de vista técnico.
A CEDEAO já conseguiu mobilizar para a realização de eleições na Guiné-Bissau cerca de 16 milhões de dólares (perto de 11,7 milhões de euros), que se juntam aos dois milhões de dólares (1,47 milhões de euros) disponibilizados pela Nigéria para apoio logístico. 

(in:lusa)
 

Sem comentários:

Publicar um comentário