COM O TEMPO UMA IMPRENSA CÍNICA, MERCENÁRIA, DEMAGÓGICA E CORRUPTA, FORMARÁ UM PÚBLICO TÃO VIL COMO ELA MESMO

Joseph Pulitzer

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Insegurança alimentar e subnutrição na Guiné-Bissau “são alarmantes”


SEGUNDO A 'FAO' Insegurança alimentar e subnutrição na Guiné-Bissau “são alarmantes”

Os indicadores de insegurança alimentar e subnutrição na Guiné-Bissau "são alarmantes", destacou hoje o representante no país da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO), Joachim Laubhouet-Akadie.

(foto: EPA)


 
Aquele responsável falava durante as comemorações do Dia Mundial da Alimentação que decorreram em São Domingos, no norte do país, junto à fronteira com o Senegal.
A iniciativa juntou a população e uma comitiva com membros do Governo de transição e representantes de organismos internacionais.
"Na Guiné-Bissau, 27 por cento das crianças sofrem de subnutrição crónica, cinco por cento da população rural tem uma dieta alimentar pobre e 20 por cento das comunidades rurais vivem com falta de comida", sublinhou.
O representante da FAO deixou um apelo a todos os parceiros para que seja possível mitigar as dificuldades provocadas pela má campanha de caju, que reduziu o rendimento das famílias guineenses disponível para comprar comida.
Antes de chegar a São Domingos, a comitiva visitou alguns bons exemplos de produção agrícola, pelo menos na apreciação das autoridades locais.
Às portas da capital, uma empresa designada Agrosafim, composta por portugueses, está há cerca de um ano a plantar tomate, pepino, pimento, hortaliça e alface para abastecer os mercados em redor.
A firma marca a diferença porque recorre a estufas e sistemas mecanizados que ainda não são usados na Guiné-Bissau.
Já perto de São Domingos, o programa incluiu uma visita a uma associação que rentabilizou oito hectares de terra.
Apesar de não haver máquinas, o trabalho manual de mais de 300 pessoas permite colher mandioca, milho, amendoim e produtos hortícolas.
Condições naturais não faltam, pelo que o ministro de Estado, Fernando Vaz, sublinhou a necessidade de haver "investimento na agricultura mecanizada" como um passo importante para o país garantir a auto-suficiência alimentar.


Sem comentários:

Publicar um comentário