COM O TEMPO UMA IMPRENSA CÍNICA, MERCENÁRIA, DEMAGÓGICA E CORRUPTA, FORMARÁ UM PÚBLICO TÃO VIL COMO ELA MESMO

Joseph Pulitzer

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Sebastião Antunes foi o último cantor que compartilhou o palco com a saharaui Mariem Hassan

Sexta-feira, 12 de fevereiro, Sebastião Antunes e o seu grupo “A Quadrilha” deram um concerto no Centro Cultural Olga Cadaval, em Sintra. Apesar da noite de temporal e de um jogo de futebol Benfica-Porto que passava na televisão, a sala encheu-se de muitos fans e amigos do músico. Assistiu-se a um grande Concerto. A Associação de Amizade Portugal Sahara Ocidental (AAPSO) associou-se ao espectáculo.


Sebastião Antunes – que é membro da AAPSO — apresentou o seu último álbum “Proibido Adivinhar”, actuando para mais de 300 pessoas que se emocionaram quando o cantor evocou as suas actuações com a artista saharaui Mariem Hassan.

Antunes foi o último cantor que compartilhou o palco com Mariem Hassan em Maio de 2014, quando cantaram juntos no FiSahara, em Tindouf, nos campos de refugiados saharauis. Mariem estava já muito debilitada pela doença de que viria a padecer pouco tempo depois, mas com grande alegria por entoar com Sebastião Antunes “Grândola Vila Morena”, de Zeca Afonso.

No concerto de sexta-feira Sebastião Antunes e “A Quadrilha” fizeram um percurso por muitas das músicas que os têm celebrizado com destaque para a “Cantiga da Burra”, que ele tantas vezes cantou com Mariem (numa versão que comparava a teimosia da burra à do rei de Marrocos) e “Senhora do Almortão”, uma das preferidas de Mariem, e que forma parte do disco com uma interpretação ao vivo da cantora saharaui.

De destacar a participação no concerto de músicos e intérpretes amigos de Sebastião Antunes assim como do grupo Projecto Adufe em Lisboa.
Entre o público encontrava-se a Secretária de Estado da Inclusão de Pessoas com Deficiência, a embaixadora da Argélia em Portugal e outros diplomatas.

A AAPSO distribuiu cerca de 200 folhetos sobre as actuações conjuntas de Sebastião e Mariem Hassan e em que se lembram “Oito motivos para apoiar o Referendo no Sahara Ocidental”.
 

UM POUCO DE HISTÓRIA:  

https://rasdargentina.files.wordpress.com/2016/02/200-folletos.pdf






























Sem comentários:

Publicar um comentário