COM O TEMPO UMA IMPRENSA CÍNICA, MERCENÁRIA, DEMAGÓGICA E CORRUPTA, FORMARÁ UM PÚBLICO TÃO VIL COMO ELA MESMO

Joseph Pulitzer

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Conselho de Segurança da ONU discute situação na Guiné-Bissau à porta fechada

O Conselho de Segurança da ONU reúne-se esta quarta-feira à porta fechada com o Representante Especial para a Guiné-Bissau, Miguel Trovoada, depois do responsável informar publicamente a organização sobre a situação no país.


A informação foi confirmada à Lusa por uma fonte do Conselho de Segurança, adiantando ainda que o embaixador do Brasil junto da ONU, António Patriota, que preside ao Grupo de Contacto para a Guiné-Bissau da Comissão de Consolidação da Paz nas Nações Unidas, também falará na parte pública do encontro.

"Ainda não está confirmado se falarão também representantes do Senegal, em nome da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), e de Timor-Leste, pela Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)", explicou.

Trovoada apresentará no encontro as conclusões do último relatório do Gabinete Integrado das Nações Unidas para a Consolidação da Paz na Guiné-Bissau (UNIOGBIS).

Nesse documento, a que a Lusa teve acesso, o secretário-geral da ONU diz que a instabilidade política no pais é "preocupante" e pede aos estados membros do Conselho de Segurança que aprovem a renovação do mandato da UNIOGBIS, por mais um ano, no final do mês.

Miguel Trovoada deverá estar de saída do cargo de Representante Especial, mas ainda se desconhece quem poderá ocupar o seu lugar.

"Tudo indica que está de saída e que deverá ser substituído, mas ainda não se sabe quem é que o secretário-geral pretende nomear como seu substituto", disse a mesma fonte à Lusa.

Um dos pontos importantes no encontro de quarta-feira diz respeito ao futuro da ECOMIB, a força de manutenção de paz da CEDEAO no país, que tem tido problemas de financiamento.

"É uma das coisas a prestar atenção amanhã: que membros do Conselho de Segurança vão apelar a mais ajuda financeira internacional para o ECOMIB, uma força que tem sido considerada importante para evitar a deterioração da crise política?", observou a mesma fonte.

Neste momento, diferentes grupos de deputados disputam o controlo do parlamento da Guiné-Bissau.

O confronto político e judicial no parlamento é o mais recente reflexo da luta que opõe José Mário Vaz, Presidente da República, e Domingos Simões Pereira, presidente do PAIGC, demitido em agosto de 2015 do cargo de primeiro-ministro.

O Conselho de Segurança deve votar a extensão do mandato da UNIOGBI a 26 de fevereiro.

Sem comentários:

Publicar um comentário