COM O TEMPO UMA IMPRENSA CÍNICA, MERCENÁRIA, DEMAGÓGICA E CORRUPTA, FORMARÁ UM PÚBLICO TÃO VIL COMO ELA MESMO

Joseph Pulitzer

sábado, 20 de fevereiro de 2016

É portuguesa a distinguida como a melhor diretora escolar no Canadá

Uma emigrante portuguesa vai ser distinguida como uma das melhores directoras de escolas no Canadá pelo seu “papel na melhoria” da avaliação dos alunos, sendo a maioria de origem portuguesa.


A portuguesa, responsável pedagógica da Escola Santa Maria dos Anjos, em Toronto, foi eleita pela Learning Partnership como a melhor directora, entre 40 finalistas, e a única a conquistar o prémio em escolas católicas, pela sua “liderança excepcional”.

“Como luso-canadiana, e até porque a escola onde estava colocada era frequentada por muitos alunos portugueses, é um reconhecimento muito importante porque passei toda a vida escolar, como directora e professora a erradicar o estereotipo dos portugueses não serem bem sucedidos especialmente em estudos académicos”, afirmou Manuela Sequeira, de 52 anos.

Formada pela Universidade de Toronto em Letras, com um mestrado em educação, Manuela Sequeira frequentou ainda durante dois anos a Faculdade de Letras de Coimbra, de onde é natural, e tem trabalhado num estabelecimento de Toronto com cerca de 400 alunos, a maioria dos quais portugueses e luso-descendentes.

Segundo a directora, a escola estava sob avaliação do ministério da educação devido à prestação menos boa dos alunos, mas em sete anos conseguiram “superar todas as adversidades e colocar os alunos entre os melhores da província”.

A Learning Partnership é uma instituição de caridade nacional dedicada a apoiar, promover e desenvolver a educação financiada publicamente no Canadá.

Actualmente, Manuela Sequeira, desempenha funções como Directora na Escola Católica St. Clare, em Toronto, onde também existe uma grande comunidade portuguesa. A instituição de ensino é frequentada por 462 alunos dos quatro aos 13 anos, que vão desde a pré-primária até ao segundo ciclo do ensino básico.

Os alunos portugueses e luso-descendentes que ao longo dos anos, segundo relatos de instituições canadianas, têm sentido algumas dificuldades na integração do meio escolar, conseguindo superar esses obstáculos.

“Algo mudou para o positivo. Temos mais modelos de portugueses nas várias áreas profissionais. Há muitas instituições que promovem a educação juntos dos alunos portugueses, o que é positivo. Continuamos com uma certa dificuldade não só com os portugueses, em elevar esse nível académico”, enalteceu Manuela Sequeira.

A alta valorização das habitações em Toronto, mais especificamente na baixa da cidade, tem levado a que muitos residentes procurem outras opção mais acessíveis, factor que tem levada a uma redução de alunos nas escolas.

“Antigamente os emigrantes concentravam-se nos grandes centros. Hoje em dia temos escolas que tinham 500 a 600 alunos, e agora só tem 200 a 300, fruto de as pessoas procuraram casas com preços mais acessíveis em cidades vizinhas”, frisou.

Os vencedores do galardão serão homenageados numa cerimónia a ter lugar em Toronto, no dia 23 de fevereiro.

Calcula-se que existem no Canadá cerca de 550 mil portugueses e luso-descendentes, estando a grande maioria localizada na província do Ontário.
 
 
 

Sem comentários:

Publicar um comentário