COM O TEMPO UMA IMPRENSA CÍNICA, MERCENÁRIA, DEMAGÓGICA E CORRUPTA, FORMARÁ UM PÚBLICO TÃO VIL COMO ELA MESMO

Joseph Pulitzer

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Bissau quer rever acordo de exploração marítima com o Senegal

A Guiné-Bissau criou uma comissão para a revisão do acordo de gestão e de cooperação na zona marítima comum com o Senegal.


A comissão foi empossada pelo Presidente guineense, José Mário Vaz, que destacou ter sido o próprio a denunciar o acordo como forma de evitar a sua renovação tácita.

Segundo o Presidente guineense, a comissão hoje empossada vai proceder a um balanço das actividades desenvolvidas no âmbito do acordo durante os 20 anos da sua vigência.

A zona em questão é conhecida pela sua abundância em recursos pesqueiros e ainda por se acreditar que tenha jazidas de petróleo.

O acordo de gestão e de cooperação da zona marítima comum entre a Guiné-Bissau e o Senegal foi rubricado pelos chefes de Estado dos dois países em 1993 e dois anos depois foi criada uma agência para gestão e exploração de recursos haliêuticos e minerais.

"Volvidos vinte anos, a Guiné-Bissau entendeu ser mais avisado parar e reflectir sobre o rumo mais acertado a seguir, visando sempre a protecção dos interesses do nosso povo e consciente da inevitabilidade da realização de caminhada conjunta com os seus vizinhos próximos", disse José Mário Vaz, no discurso da posse dos membros da comissão.

O guineense Júlio Baldé, antigo ministro dos Recursos Naturais, é o actual secretário executivo da agência, cuja sede está localizada em Dacar.
 
 
 
 

Sem comentários:

Publicar um comentário