COM O TEMPO UMA IMPRENSA CÍNICA, MERCENÁRIA, DEMAGÓGICA E CORRUPTA, FORMARÁ UM PÚBLICO TÃO VIL COMO ELA MESMO

Joseph Pulitzer

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

EUA deportam narcotraficante da Guiné-Bissau para Portugal

Malam Mane Sanha, um dos homens detidos em 2013 com o ex-chefe de Estado-Maior da Armada da Guiné-Bissau, Bubo Na Tchuto, foi deportado no dia 01 de dezembro para Portugal.


"O senhor Sanha foi deportado para Portugal sob a autoridade legal do governo dos Estados Unidos depois de ter cumprido a pena pelos seus crimes", confirmaram à Lusa os serviços de imigração e fronteiras do país (ICE, na sigla em inglês).

Sanha, de 29 anos, foi julgado em Nova Iorque sob o nome Manuel Mamadi Mane, um dos mais de 12 nomes que usou durante a sua actividade criminosa.

Depois de confessar os crimes de conspiração para narco-terrorismo, para importar cocaína para os EUA, para fornecer material militar a uma organização terrorista (FARC) e para obter e transferir misseis, Sanha foi condenado em maio a 36 meses de prisão.

Foi deportado ainda este ano porque os meses em que aguardou julgamento detido contaram como tempo de pena.

O ICE confirmou à Lusa que Sanha tem nacionalidade portuguesa e guineense, mas usou o passaporte português, que foi confirmado válido, no processo de deportação.

Os serviços de imigração e fronteiras contactou o Estado português e uma força de segurança portuguesa estava à espera de Sanha quando ele aterrou no país.

Em abril de 2103, Na Tchuto, Sanha e outros três guineenses foram detidos em águas internacionais, ao largo de Cabo Verde, por uma equipa da agência de combate ao tráfico de droga norte-americana.

Segundo a acusação, Na Tchuto cobrava um milhão de dólares norte-americanos por cada tonelada de cocaína da América do Sul recebida na Guiné-Bissau.

Todos os envolvidos confessaram e encontram-se a cumprir pena em prisões norte-americanas.

Na Tchuto também confessou os crimes de que é acusado no ano passado, mas a sua sentença ainda não é conhecida.

Sem comentários:

Publicar um comentário