COM O TEMPO UMA IMPRENSA CÍNICA, MERCENÁRIA, DEMAGÓGICA E CORRUPTA, FORMARÁ UM PÚBLICO TÃO VIL COMO ELA MESMO

Joseph Pulitzer

sábado, 6 de fevereiro de 2016

ONU: A não contribuição da GBissau, faz terminar seu direito de voto em setembro

A Líbia tem negado o seu direito de voto na Assembleia Geral das Nações Unidas devido a dívidas acumuladas.


O país se junta a 14 outros países, incluindo Bahrain, Venezuela e Ilhas Marshall, que estão em atraso no pagamento de sua contribuição anual para o orçamento ordinário da ONU.

Isto significa que os países não podem votar no mundo 193 membro a menos que haja circunstâncias excepcionais.

De acordo com o artigo 19º da Carta da ONU, um Estado-Membro perde o seu direito de voto na Assembleia Geral "se o montante em atraso for igual ou superior ao montante da contribuição devida para os dois anos anteriores completos", diz a carta.

Aprovada uma resolução que dá cinco países pobres e dilaceradas por conflitos na lista o direito de voto durante a sessão actual, que termina em setembro - Comores, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe, Somália e Iêmen.

O artigo 19º afirma que um membro pode ser autorizado a votar se a Assembleia Geral "considerar que a falha é devido a circunstâncias fora do controlo dos Estados", uma circunstância que a ONU, aparentemente, decidiu privar Líbia, que é considerado capaz de pagar suas dívidas.

Um pagamento mínimo de R $ 1,4 milhões são necessários para Tripoli para recuperar o seu voto, de acordo com uma carta de Ban Ki-moon à Assembleia Geral.
 
 
 

Sem comentários:

Publicar um comentário