COM O TEMPO UMA IMPRENSA CÍNICA, MERCENÁRIA, DEMAGÓGICA E CORRUPTA, FORMARÁ UM PÚBLICO TÃO VIL COMO ELA MESMO

Joseph Pulitzer

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

São Tomé e Principe adquire embarcações para ligações entre ilhas e patrulhamento da costa

O Governo são-tomense adquiriu cinco embarcações, duas de passageiros com capacidade para 450 pessoas e três para patrulhamento da zona económica exclusiva do arquipélago, que vão entrar esta semana "em operações", disse hoje à Lusa fonte da Guarda Costeira.


As embarcações foram adquiridas pelo Governo são-tomense e apresentados no domingo no porto de São Tomé pelo executivo.

O primeiro-ministro, Patrice Trovoada, que participou no teste de uma das embarcações num passeio à volta da ilha de São Tomé, disse que a aquisição destas embarcações se enquadra na "política do mar" que o seu Governo pretende implementar, no sentido de proteger os recursos marinhos do arquipélago e evitar entradas ilegais no país.

Patrice Trovoada escusou-se a revelar se as embarcações foram compradas ou se são donativos, sublinhando apenas que "os investimentos" que o executivo está a fazer neste sentido permitirão "atrair investidores interessados em explorar o sector pesqueiro".

As embarcações vão estar sob tutela do Ministério da Defesa e do Mar, lamentando "situações de interrupções de ligação marítima entre as ilhas por privados", alegando falta de combustíveis.

"Os privados têm a sua agenda e o Estado deve garantir a sua soberania, temos que ter os nossos próprios meios, isto é que é fundamental", afirmou Patrice Trovoada.

As cinco embarcações surgem cerca de três meses depois de chegar ao país uma outra embarcação de patrulha, comprada a pronto pagamento através de uma empresa naval israelita, por mais de 2,2 milhões de dólares (2,02 milhões de euros).

O primeiro-ministro são-tomense, durante a visita efectuada na semana passada a Marrocos, pediu o apoio do Governo marroquino para o seu programa de combate à pesca ilegal, roubo de recursos haliêuticos, atos pirataria e entrada ilegal de cidadãos nigerianos em São Tomé e Príncipe.
 
 
 
 

Sem comentários:

Publicar um comentário