COM O TEMPO UMA IMPRENSA CÍNICA, MERCENÁRIA, DEMAGÓGICA E CORRUPTA, FORMARÁ UM PÚBLICO TÃO VIL COMO ELA MESMO

Joseph Pulitzer

sábado, 30 de janeiro de 2016

O ex-Alto Comissário das Nações Unidas para os Refugiados António Guterres: o grau honorário "é uma homenagem a todos os refugiados e todos os elementos do ACNUR"

O ex-Alto Comissário das Nações Unidas para os Refugiados António Guterres afirmou hoje que o grau honorário que lhe foi atribuído por uma universidade canadiana "é uma homenagem a todos os refugiados e todos os elementos do ACNUR".


"Vejo isto como uma homenagem aos refugiados, e a todos aqueles que trabalham no ACNUR (Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados) para que esses refugiados encontrem a protecção, a assistência e as soluções a que têm direito do que propriamente uma homenagem de carácter pessoal. Obviamente, fiquei muito orgulhoso e satisfeito", afirmou António Guterres, em Otava.

A Universidade de Carleton, em Otava, no Canadá atribuiu ao ex-primeiro-ministro português na sexta-feira, numa cerimónia que decorreu naquela instituição de ensino, o grau "Doutor Honoris Causa".

António Guterres participou na sexta-feira no "Fórum Otava 2016", de manhã, e à tarde foi reconhecido pela sua liderança em termos globais com a atribuição do grau honorário.

O ex-primeiro-ministro disse que o seu objectivo foi agradecer ao Canadá pelo seu papel no acolhimento de refugiados.

"Esta visita deve-se fundamentalmente a um objectivo, de agradecer a tudo o que o Canadá tem feito no domínio dos refugiados, sobretudo nesta última fase em que muitos países estão a fechar as portas, o governo canadiano abriu-as novamente aos refugiados sírios", sublinhou.

Para o ex-Alto Comissário das Nações Unidas para os Refugiados, o Canadá tem uma "imagem espantosa do primeiro-ministro, Justin Trudeau, que se deslocou ao aeroporto de Toronto para receber o primeiro grupo de refugiados no programa deste novo governo "dando um exemplo muito importante ao mundo".

Em termos gerais, António Guterres ficou muito satisfeito com a visita ao Canadá, onde foram estabelecidos "contactos importantes" com o governo de Otava.

O professor de ciências políticas da Universidade de Carleton, James Milner, explicou que o grau honorário de "Honoris Causa", é um "reconhecimento pelos 40 anos de serviço público, em que a sua liderança combina com realismo e pragmatismo", num percurso iniciado na política em Portugal e, depois, efectuado num nível mais elevado, durante a década passada, ao serviço do ACNUR.

"Conseguir restaurar a autoridade moral do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados é um reconhecimento do trabalho desenvolvido mas é também uma forma de desejarmos aprender o estilo de liderança que demonstrou", concluiu.

A Universidade de Carleton tem cerca de 25 mil alunos e cerca de 30 portugueses e outros tantos luso-descendentes.

A Assembleia Geral das Nações Unidas elegeu António Guterres, em maio de 2005, como Alto Comissário para os Refugiados, cargo de que cessou funções em dezembro de 2015.

Na semana passada, o Governo português anunciou que vai apresentar a candidatura de António Guterres a secretário-geral das Nações Unidas, sublinhando que se trata de "um imperativo".

Existiam cerca de 550 mil portugueses e luso-descendentes no Canadá. Na região de Otava e Gatineau, existem cerca de 14 mil portugueses e luso-descendentes.

(foto: Lusa)

Sem comentários:

Publicar um comentário