COM O TEMPO UMA IMPRENSA CÍNICA, MERCENÁRIA, DEMAGÓGICA E CORRUPTA, FORMARÁ UM PÚBLICO TÃO VIL COMO ELA MESMO

Joseph Pulitzer

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

ONU: Renovação das sanções à República Centro-Africana até 2017

O Conselho de Segurança adoptou esta quarta-feira uma resolução que renova as sanções à República Centro-Africana, que deviam expirar a 29 de janeiro.

O documento foi aprovado por unanimidade como Resolução 2262/2016, como destacou o embaixador do Uruguai junto às Nações Unidas, Elbio Rosselli, que presidiu a sessão.


Embargo

O documento renovou o embargo a armas, a proibição de viagens e o congelamento de bens até 31 de janeiro de 2017.

A resolução também expressa "pleno apoio" ao Painel de Especialistas sobre a República Centro-Africana e estende o seu mandato até 28 de fevereiro do próximo ano.

Armas e Munições

O documento destaca a necessidade de o país desenvolver uma melhor capacidade para armazenar e gerir as suas armas e munições.

A resolução expressa preocupação com alegações de exploração e abuso sexual por tropas de paz supostamente cometidos no país, e realça a necessidade de implementação da política de tolerância zero do secretário-geral.

Conflito

A ONU participa no processo para estabilizar o país com 11 mil soldados e polícias. Elas estão presentes em território centro-africano com as forças francesas Sangaris numa actuação com equipas de segurança locais.

Depois de nove meses de uma melhora do nível de estabilidade, uma nova onda de violência inter-comunitária ocorreu em setembro. Mais de 130 pessoas morreram e 430 ficaram feridas. O número de deslocados internos aumentou 18% para mais de 447 mil pessoas.

Ajuda Humanitária

Na segunda-feira, o Alto Comissariado da ONU para Refugiados, ACNUR, e seus parceiros anunciaram que mais de US$ 500 milhões serão necessários para ajudar este ano a centenas de milhares de pessoas que foram forçadas a fugir de conflitos na Nigéria e na República Centro-Africana.

As agências destacam também a necessidade de abrigo e de outros serviços básicos para comunidades anfitriãs.
 
 
 
 

Sem comentários:

Publicar um comentário