COM O TEMPO UMA IMPRENSA CÍNICA, MERCENÁRIA, DEMAGÓGICA E CORRUPTA, FORMARÁ UM PÚBLICO TÃO VIL COMO ELA MESMO

Joseph Pulitzer

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Índia renuncia às taxas de visto para 48 países menos desenvolvidos

O governo central renuncia às taxas para vistos de negócios e de emprego para os candidatos de 48 países menos desenvolvidos.


A etapa vem depois de uma instrução do ministério de assuntos externos em 14 dezembro de 2015.

"O Ministério das Relações Exteriores alertou todas as missões estrangeiras e enviou mensagens em 48 países menos desenvolvidos para a emissão de vistos de negócios e de emprego (quando aplicável) para os candidatos em base grátis com efeito imediato e sujeitos aos controlos habituais", disse um comunicado oficial.

O ministério informou ainda que a taxa de serviço para a empresas de terceirização, sempre que aplicável, e a taxa Fundo Comunitário de Previdência indiano continuará a ser cobrada aos requerentes de vistos de negócios e emprego, acrescentou o comunicado.

Os países incluídos na lista são: Afeganistão, Angola, Bangladesh, Benin, Butão, Burundi, Burkina Faso, Camboja, República Centro Africano, Chade, Comores, República Democrática do Congo, Djibuti, Guiné Equatorial, Eritreia, Etiópia, Gâmbia, Guiné , Guiné-Bissau, Haiti, Kiribati, Laos, Lesoto, Libéria e Nepal.

Também listados são Madagascar, Malawi, Mali, Mauritânia, Moçambique, Mianmar, Niger, Rawanda, São Tomé e Príncipe, Senegal, Serra Leoa, Ilhas Salomão, Somália, Sudão do Sul, Timor-Leste, Togo, Tuvalu, Uganda, República Unida da Tanzânia, Vanuatu, Iêmen e Zâmbia.




Sem comentários:

Publicar um comentário