COM O TEMPO UMA IMPRENSA CÍNICA, MERCENÁRIA, DEMAGÓGICA E CORRUPTA, FORMARÁ UM PÚBLICO TÃO VIL COMO ELA MESMO

Joseph Pulitzer

sábado, 30 de janeiro de 2016

Portugal: Apresentada queixa-crime contra polícias indianos enviados ao país

Advogados de Paramjeet Singh apresentaram hoje uma queixa-crime em Portugal contra três dos quatro polícias enviados pela Índia para Portugal para supervisionar a entrega do pedido de extradição do cidadão indiano detido em dezembro no Algarve.


A queixa-crime foi apresentada ao ministro da Justiça português para que mereça a atenção imediata da Procuradoria-Geral da República portuguesa, segundo o canal indiano Sikh 24.

Segundo a Sikh 24, a queixa-crime é contra os oficiais indiano Ashish Kapoor, Rajinder Singh Sohal e Balkar Singh Sidhu.

Ashish Kapoor é acusado de ter torturado Paramjeet Singh na Índia antes de lhe ter sido concedido asilo no Reino Unido.

Rajinder Singh Sohal já foi anteriormente condenado nos tribunais indianos por vários crimes contra prisioneiros e Balkar Singh Sidhu foi acusado de sequestro e assassínio de um prisioneiro

O advogado Amarjit Singh Bhachu afirmou que a equipa jurídica de Paramjeet Singh está empenhada na sua libertação e no seu regresso a casa.

"A apresentação desta queixa-crime é um passo importante, não só no caso de Paramjeet Singh, mas também na procura de justiça por inúmeras vítimas de tortura e assassínios extrajudiciais às mãos dos serviços de segurança indianos durante muitos anos", disse Amarjit Singh Bhachu.

No passado dia 04 de janeiro a Índia solicitou a prorrogação, por mais 40 dias, do prazo relativo à extradição de Paramjeet Singh.

A 21 de dezembro último, o Tribunal da Relação de Évora validou e manteve a detenção do cidadão indiano Paramjeet Singh, confirmando a decisão já tomada, aquando da sua apresentação ao Tribunal de 1.ª instância.

Paramjeet Singh fica detido em Portugal, no estabelecimento prisional de Beja, disse à Lusa fonte ligada ao processo.

O indiano, activista 'sihk' conhecido por Pamma e alegado separatista, foi detido a 18 de dezembro num hotel no Algarve pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) ao abrigo de um mandado de detenção internacional para extradição emitido pela INTERPOL.

Sem comentários:

Publicar um comentário