COM O TEMPO UMA IMPRENSA CÍNICA, MERCENÁRIA, DEMAGÓGICA E CORRUPTA, FORMARÁ UM PÚBLICO TÃO VIL COMO ELA MESMO

Joseph Pulitzer

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Apelo: Insegurança Alimentar no Senegal, Gâmbia, Mauritânia e Guiné-Bissau

A crise de segurança alimentar tem sido uma crise regional que afeta a área do Sahel, principalmente quatro países - Senegal, Gâmbia, Mauritânia e Guiné-Bissau. Um total de 3,55 milhões de pessoas precisavam de ajuda alimentar de emergência no Sahel em 2015.


Consequentemente, este recurso tem sido parte de uma resposta mais ampla na região e foi incluído no Plano Estratégico Operacional Regional IFRC Sahel Insegurança Alimentar.

No Senegal, o ano de 2014 a cultura foi caracterizada por um início tardio e má distribuição das chuvas. Em março de 2015, as culturas agrícolas 2014-2015 campanha mostrou que Senegal diminuiu a produção de cereais em 16% em comparação com a média dos últimos 5 anos, devido ao déficit de precipitações. Análise actualizada da segurança alimentar e da situação nutricional no país, fornecido pelo último quadro harmonizado (21 de Março de 2015) mostrou que o número de pessoas IPC Fase 2 (forçada) foi 2.370.730, e o número de pessoas no IPC Fase 3 (Crisis ) chegou a 639.702.
 
Também projetado situação para junho-agosto 2015 previu que os números aumentaria para 3,147,370 pessoas sob forçada (Fase 2), e 1,039,550 pessoas em crise (fase 3). A situação foi ainda agravada pelo encerramento dos mercados na fronteira com a Guiné, devido ao surto de Ebola, que teve um impacto negativo nas fronteiras sul do Senegal.

A fim de dar uma resposta adequada e atempada, a FICV Sahel Regional de Representação, em colaboração com a Unidade de Gestão de Desastres da Região África e a senegalesa Sociedade da Cruz Vermelha lançou um apelo de emergência para CHF 2.533.016 para apoiar 72.000 pessoas vulneráveis ​​por 12 meses.
 
As actividades de recurso teem sido planeado em quatro departamentos onde senegalesa Sociedade da Cruz Vermelha (Crescente Vermelho Sudanês) escolheu que trabalham com populações vulneráveis: kanel (Matam Região), Podor (Saint Louis Região), Fatick (Fatick Region) e Goudomp (Sédhiou Região). Estas áreas de intervenção foram escolhidos com base nos três resultados do inquérito (Ersan, inteligente e último quadro harmonizado) e por ser as áreas mais deprimidas que precisam de assistência humanitária e de evitar duplicações com outros actores.
 
 
 

Sem comentários:

Publicar um comentário