COM O TEMPO UMA IMPRENSA CÍNICA, MERCENÁRIA, DEMAGÓGICA E CORRUPTA, FORMARÁ UM PÚBLICO TÃO VIL COMO ELA MESMO

Joseph Pulitzer

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Comissão das Nações Unidas, preocupada com as tensões na G-Bissau

Para o grupo de diplomatas, a situação está a causar um clima desnecessário de incertezas no país; alguns serviços sociais já foram interrompidos; autoridades nacionais devem assegurar ambiente estável.


A Comissão da ONU de Consolidação da Paz para a Guiné-Bissau divulgou um comunicado esta quarta-feira a expressar preocupação com "tensões políticas e institucionais" no país.

O cenário político é marcado por divergências que envolvem partidos representados no Parlamento. Segundo o grupo de diplomatas, a situação está a "causar um clima desnecessário de incertezas".

Compromissos 
Para a Comissão da ONU, já estão a ser vistos impactos negativos no funcionamento do Estado, como a interrupção de serviços sociais que são vitais para a população guineense.
A Rádio ONU entrevistou o representante especial do secretário-geral para o país. Miguel Trovoada está em Bissau e falou sobre as prioridades de momento.

Violência
"Não deixamos de chamar a atenção de uns e outros para a necessidade de rapidamente pôr cobro a esta situação, porque isto tendo estado a penalizar sobremaneira a sociedade guineense. O governo não está em pleno exercício das suas funções. Por outro lado, essa situação também tem outras consequências sociais como atos de delinquência, já se fala muito também do aumento do tráfico de drogas, há manifestações e alguns sinais de violência."
Miguel Trovoada destaca que os autores dessa situação "são os próprios partidos políticos guineenses". A Comissão de Consolidação da Paz pede aos representantes políticos e sociais da Guiné-Bissau para evitarem qualquer ação que possa contribuir com mais instabilidade.
Segundo o grupo, as autoridades nacionais precisam cumprir os compromissos assumidos na mesa-redonda de Bruxelas. Os diplomatas da ONU querem a garantia de um ambiente estável e propício para que doadores financeiros possam desembolsar as suas promessas.
Sem essa cooperação, pode estar em risco a promoção de um ambiente de paz e de benefícios económicos para a população.
A Comissão faz um apelo aos dirigentes políticos da Guiné-Bissau, para que promovam um clima construtivo de compromisso e de cooperação, por meio do diálogo. Construir a confiança e fortalecer a democracia precisam ser prioridades.

Defesa
A nota revela que os parceiros internacionais estão "firmes pela Guiné-Bissau e pedem às autoridades que defendam a Constituição e o Estado de Direito".
A Comissão de Consolidação da ONU elogia entidades como União Africana, Comissão dos Países de Língua Portuguesa e Comunidade Económica dos Países de África Ocidental, pelo apoio para que seja encontrada uma solução pacífica para o impasse.
É notada também a mediação que está a ser feita pelo representante especial do secretário-geral da ONU no país, Miguel Trovoada, que têm encorajado as partes a promover o diálogo construtivo.
Além disso, a Comissão saúda a realização, nas próximas semanas, de uma reunião do Grupo de Contato Internacional para a Guiné-Bissau, como uma ocasião oportuna para aprofundar o diálogo e cooperação entre a comunidade internacional e o governo do país.



Sem comentários:

Enviar um comentário