COM O TEMPO UMA IMPRENSA CÍNICA, MERCENÁRIA, DEMAGÓGICA E CORRUPTA, FORMARÁ UM PÚBLICO TÃO VIL COMO ELA MESMO

Joseph Pulitzer

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

20ª Reunião CDEAO - UE

CEDEAO e União Europeia (UE) terminaram a 20ª Sessão da sua reunião de diálogo político a nível ministerial em Abuja com amplas decisões reforçam seus valores comuns de paz e segurança, governação e outras questões relacionadas com o desenvolvimento político, do comércio e, o que são de interesse mútuo para os dois na declaração. 

 
 
A Comissão da CEDEAO na sexta-feira em Abuja, disse em um comunicado de oito páginas, no final da reunião em Abuja na quinta-feira que a UE manifestou o seu apreço das medidas que estão sendo tomadas pela CEDEAO para defender os ganhos do processo de democratização e do Estado de direito na África Ocidental.

Ressaltou a importância da implementação da estratégia de combate ao terrorismo a CEDEAO no âmbito dos desafios da região Oeste Africano e incentivou CEDEAO para reforçar ainda mais a sua capacidade de conduzir a diplomacia preventiva eficaz e mediação.

Além disso, a UE incentivou da CEDEAO sobre as suas iniciativas de reforma destinadas a reforçar a sua eficácia e tornar mais eficaz, as suas políticas e procedimentos administrativos e financeiros, enquanto a reunião também foi informado sobre os progressos realizados sobre as reformas institucionais e expansão da Comissão da CEDEAO de estatutários nomeados a 15 Comissários, e os mais recentes desenvolvimentos institucionais na Europa.

As partes elogiaram o progresso em direcção a operacionalização da Força de Reserva da CEDEAO (ESF), que é um dos principais instrumentos de garantia de paz e estabilidade regional, e um bloco de construção fundamental para a Paz Africano e Arquitectura de Segurança (APSA).

Eles enfatizaram a necessidade urgente de acelerar o progresso, a fim de atender a 2015 full objectivo operacionalização, como previsto pelo FSE Roadmap-III (2011-2015).

As partes acordaram ainda que, dada a situação na região, operacionalização antes desse prazo seria mais adequado e útil, e salientou a importância de reforçar a ligação entre o alerta rápido e acção rápida.

Por conseguinte, ambos os lados reiteraram a necessidade de recursos adicionais para enfrentar capacidade de mobilização rápida (RDC) no âmbito do FSE, em particular o desenvolvimento de um depósito de logística, capacidades estratégicas de elevação e capacidade de planeamento do FSE, e com a coordenação dos esforços internacionais para apoiar o FSE, que é a chave para alcançar o sucesso.

O Comunicado também assinala sobre a evolução da Mali, Burkina Faso e Guiné-Bissau, sublinhando a necessidade de apoiar os países na resposta aos desafios políticos e humanitários para o rápido retorno da paz e segurança, democracia, boa governação e do Estado de Direito.

Ambas as partes igualmente reviram respectivas estratégias de Sahel e reflectiu sobre a forma de garantir um progresso mais rápido e sinergias, além de outras estratégias para o Sahel e com o G-5 países.

O Comunicado reconheceu os progressos realizados no reforço da segurança marítima e de segurança no Golfo da Guiné, e congratulou-se com a adopção da Estratégia Marítima Integrada da CEDEAO (EIMS) em resposta às ameaças atuais no Golfo da Guiné, tendo especialmente em conta a necessidade de uma abordagem abrangente, que combina acção no mar e em terra para garantir uma resposta multi-agência para combater a pirataria e outras actividades ilícitas.

Observando as eleições críticas na região da CEDEAO em 2015, ambos os lados salientaram que a realização de eleições credíveis, transparentes, inclusivas e regulares é uma pedra angular dos valores compartilhados entre as partes. Portanto, consideram os processos eleitorais regulares na África Ocidental como um fator decisivo contribuir para a paz e segurança e prometeu ajuda considerável para os Estados-Membros na organização de eleições.

No surto de Ebola, a CEDEAO saudou os mil milhões de euros prometidos pela UE e os seus Estados-Membros para combater a doença e forte compromisso da UE de contribuir para a resposta internacional. Ambas as partes reafirmaram o seu compromisso de continuar seus esforços conjuntos e coordenados para conter a epidemia e elogiou as acções apropriadas desenvolvidas pela Nigéria e Senegal, e incentivou os outros países afectados em seus esforços para combater a epidemia.





Sem comentários:

Publicar um comentário