COM O TEMPO UMA IMPRENSA CÍNICA, MERCENÁRIA, DEMAGÓGICA E CORRUPTA, FORMARÁ UM PÚBLICO TÃO VIL COMO ELA MESMO

Joseph Pulitzer

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Fundo Mundial apoia no tratamento da malária, tuberculose e sida

O Fundo Mundial vai apoiar a Guiné-Bissau com mais de 30 milhões de Euros para tratamento da Malária, Tuberculose e SIDA, informou o presidente da Comissão de Coordenação Multissectorial (CCM) de combate a estas enfermidades.

 
Em declarações à ANG, Mamadú Saliu Bá, que falava à margem da Conferencia sobre o Diálogo Nacional sobre Nota Conceptual da Malária e Apreciação do PEN - Plano Estratégico Nacional explicou que para a obtenção deste fundo, o governo deve investir, como contrapartida, dois milhões de Euros em infra-estruturas sanitárias.

“O Fundo Mundial (FM) requer a participação de todos os beneficiários, incluindo os doentes, a fim de preencher as lacunas existentes nas áreas de intervenção e reforçar a capacidade de supervisão e seguimento”, informou Mamadú Bá.

O Presidente da CCM considerou de positivo o balanço de dois dias da conferência “Diálogo Nacional” sobre a Nota Conceptual da Malária e Apreciação do Plano Estratégico Nacional (PEN) e Tuberculose, porque o documento elaborado pelos técnicos da saúde “é de extrema importância tanto para o país como para os parceiros”.

Mamadú Bá afirmou que a Guiné-Bissau tem quadros e técnicos suficientes na área da saúde, mas que se debatem com a falta de enquadramento.

“Se o sistema de avaliação da CCM for negativo e o governo não demonstrar a vontade de participar, então o país não beneficiará do apoio financeiro prometido pelo FM para tratamento e seguimento dos doentes de SIDA, Malária e Tuberculose”, disse.

No PEN elaborado, os técnicos recomendaram a uniformização da linguagem utilizada para descrição de conteúdos do documento, a reclassificação dos grupos de risco tendo em conta as comunidades muito pobres e a configuração dos agregados familiares conforme os outros programas.

A continuidade do seguimento das crianças diagnosticadas com Infecção Respiratória Aguda (IRA), revisão da política de Saúde Comunitária e Promoção da Medicina Tradicional para que as actividades a nível comunitário sejam trabalhadas de forma integrada e estratégica, foram outras recomendações feitas.
 
 (in: ang)

 
 

Sem comentários:

Publicar um comentário