COM O TEMPO UMA IMPRENSA CÍNICA, MERCENÁRIA, DEMAGÓGICA E CORRUPTA, FORMARÁ UM PÚBLICO TÃO VIL COMO ELA MESMO

Joseph Pulitzer

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Relator especial da ONU para a Palestina , bate com a porta

O relator especial das Nações Unidas sobre a situação de direitos humanos nos territórios palestinos, Makarim Wibisono, apresentou esta segunda-feira sua demissão ao presidente do Conselho de Direitos Humanos.


A medida entra em vigor em 31 de março. O especialista independente lamentou que, durante seu mandato, Israel não lhe concedeu acesso ao território palestino ocupado.

Observador Imparcial
O relator especial destacou que assumiu o mandato, em junho de 2014, com o "entendimento de que Israel lhe concederia acesso como um observador imparcial e objetivo".
Diversos pedidos de acesso, tanto orais quanto por escrito, não tiveram sucesso. Wibisono ressaltou que não houve resposta de Israel a seu último pedido, em outubro de 2015, para que tivesse acesso até o fim do ano.
Segundo o especialista, o governo palestino cooperou com seu mandato ao longo deste período.

Falta de Proteção
O relator especial expressou profunda preocupação com a falta de "proteção eficaz de vítimas palestinas de contínuas violações de direitos humanos e da lei humanitária internacional".

O especialista independente afirmou que "com relutância, deseja passar o bastão a um sucessor", escolhido pelo Conselho de Direitos Humanos.
Wibisono espera que seu substituto possa "resolver o impasse atual e, assim, reassegurar à população palestina que após quase meio século de ocupação, o mundo não esqueceu sua situação e que os direitos humanos universais são de fato universais".

O relator especial destacou que é importante para a credibilidade de Israel em relação ao direitos humanos que coopere plenamente com o mandato, "inclusive permitindo acesso irrestrito ao território palestino ocupado".
O especialista independente vai apresentar seu último relatório à 31ª sessão do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas em março de 2016.


(Makarim Wibisono, relator especial sobre a situação de direitos humanos nos territórios palestinos. Foto: ONU/Violaine Martin)


Sem comentários:

Publicar um comentário