COM O TEMPO UMA IMPRENSA CÍNICA, MERCENÁRIA, DEMAGÓGICA E CORRUPTA, FORMARÁ UM PÚBLICO TÃO VIL COMO ELA MESMO

Joseph Pulitzer

quarta-feira, 20 de abril de 2016

Cabo Verde distingue cientistas e professores portugueses

O Governo de Cabo Verde vai distinguir com a Medalha de Mérito Educativo várias personalidades portuguesas pelo seu contributo para o avanço e consolidação do ensino superior e da ciência no país.


Joana Gonçalves de Sá, directora do Programa de Pós-Graduação Ciência para o Desenvolvimento (PGCD) e investigadora principal no Instituto Gulbenkian de Ciência (IGC) em Oeiras, Pedro Lourtie, professor do Instituto Superior Técnico em Lisboa, Fernando Fragateiro, professor da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, e Stefan Oschmann, presidente da empresa farmacêutica Merck, serão os homenageados numa cerimónia, que presidida esta terça-feira pelo primeiro-ministro de Cabo Verde, José Maria Neves.

A distinção representa o reconhecimento pelo “relevante e abnegado serviço prestado em prol da consolidação e da melhoria da inovação, do ensino superior e da investigação científica em Cabo Verde”, segundo o Ministério do Ensino Superior, Ciência e Inovação cabo-verdiano.

O PGCD é um programa de doutoramento em ciências da vida, destinado a estudantes dos PALOP e de Timor-Leste, cujo ano lectivo decorre na cidade da Praia, no campus da Universidade de Cabo Verde. Promovido pelo IGC e apoiado pelo Ministério do Ensino Superior, Ciência e Inovação de Cabo Verde, o programa pretende ajudar a formar cerca de 80 estudantes dos PALOP e de Timor-Leste e leva anualmente cerca de 100 cientistas internacionais a Cabo Verde, explica o IGC também em nota de imprensa.

Além de darem aulas, os cientistas participam muitas vezes noutras iniciativas, como palestras públicas, debates alargados ou programas de divulgação científica.

Pedro Lourtie colabora com Cabo Verde há vários anos, tendo assessorado a criação da Universidade de Cabo Verde. Já Fernando Fragateiro foi o impulsionador do recém-inaugurado curso de medicina que decorre desde Outubro de 2015 na Universidade de Cabo Verde, em colaboração com a Universidade de Coimbra. E Stefan Oschmann liderou o processo de apoio ao PGCD, que permitiu que as aulas do programa tivessem lugar na cidade da Praia.
 
 
 
 

Sem comentários:

Publicar um comentário