COM O TEMPO UMA IMPRENSA CÍNICA, MERCENÁRIA, DEMAGÓGICA E CORRUPTA, FORMARÁ UM PÚBLICO TÃO VIL COMO ELA MESMO

Joseph Pulitzer

sexta-feira, 15 de abril de 2016

Exercício militar norte-americano em Cabo Verde

Cabo Verde vai acolher pela primeira vez o exercício de treino militar norte-americano Epic Guardian, que envolverá cerca de 350 militares e visa aumentar a capacidade de resposta às ameaças de segurança na região. O exercício Epic Guardian 16, previsto para entre 26 de abril e a primeira semana de maio, irá decorrer nas ilhas do Sal e Santiago e terá uma parte da decorrer no Gana, envolvendo meios terrestres, aéreos e marítimos conforme adiantou hoje, na cidade da Praia, o general David Rodriguez, responsável do comando militar dos Estados Unidos para África (AFRICOM), com sede na Alemanha.


"Teremos aéreo-naves, pequenas embarcações, navios e pessoal militar", disse David Rodriguez, que hoje participou na apresentação pública do exercício conjuntamente com o embaixador dos Estados Unidos em Cabo Verde, Donald Heflin, e com os ministros das Relações Exteriores e da Defesa cabo-verdianos, Jorge Tolentino e Rui Semedo, respectivamente.

David Rodriguez adiantou que tanto Cabo Verde como os Estados Unidos "enfrentam ameaças crescentes à segurança e estabilidade", sublinhando o compromisso do AFRICOM de estar ao lado de Cabo Verde no combate a essas ameaças.

"Podem ser uma pequena nação, mas repetidas vezes têm demostrado uma poderosa determinação em continuar a servir como um modelo de estabilidade e democracia na região", disse David Rodriguez, que comanda o AFRICOM desde 2013.

Serão envolvidos no exercício 350 militares norte-americanos, cabo-verdianos e ganeses.

O Epic Guardian é um exercício de treino militar realizado regularmente em África para promover a cooperação com os aliados regionais dos Estados Unidos, tendo sido já realizado no Malaui, Camarões, Djibuti e Seychelles.

O exercício irá incluir componentes de formação em águas internacionais ao largo da ilha do Sal e envolverá planeamento e apoio do Centro Marítimo de Operações de Segurança (COSMAR), na Praia.

No contexto do exercício, engenheiros da Marinha dos Estados Unidos vão ajudar a reparar o centro COSMAR e especialistas norte-americanos irão realizar treinos adicionais sobre tráfico de drogas, bem como um exercício de planeamento bilateral de resposta a crises.

"O treino vai aumentar a capacidade de Cabo Verde em áreas como as comunicações, logística, serviços de informação, planeamento de ações de crise, tudo com o objectivo de proporcionar maior segurança e estabilidade a Cabo Verde e à região", segundo o embaixador norte-americano em Cabo Verde.

O exercício irá contribuir diretamente para a economia cabo-verdiana com 5 milhões de dólares (cerca de 4,4 milhões de euros) traduzidos na aquisição de serviços de alojamentos, restauração e combustíveis.

O ministro das Relações Exteriores de Cabo Verde, Jorge Tolentino, sublinhou "as ameaças e desafios muito concretos de defesa e segurança" na região em que o país se insere, apontando a criminalidade em alto mar, nomeadamente o narcotráfico e o tráfico de armas e pessoas.

"Constitui motivo de orgulho para Cabo Verde que este exercício, o Epic Guardian 16, que é um exercício de grande envergadura tenha lugar no nosso território. Vem na linha de outros exercícios que aconteceram no passado e que testemunham a cooperação excelente entre os Estados Unidos e Cabo Verde", disse Tolentino.

O ministro das Relações Exteriores considerou que há "ainda um longo caminho a percorrer na luta contra a criminalidade internacional organizada", daí a importância do fortalecimento da cooperação nesta área.

Cabo Verde é, desde novembro, parceiro especial estratégico ('ancor state') dos Estados Unidos no domínio da defesa e segurança na região da África Ocidental.

"Temos essa convergência de entendimento quanto à necessidade de, nesta região e neste corredor do Atlântico, mantermos e aumentarmos cada vez mais o nível de combate às ameaças transnacionais do narcotráfico, terrorismo, tráfico de armas e de pessoas, todas as formas de criminalidade que afetam Cabo Verde, mas afectam outros países que não apenas os Estados Unidos", disse Jorge Tolentino.

"Cabo Verde nunca será um refúgio seguro para os criminosos e este é um compromisso do Estado de Cabo Verde", acrescentou.

Cabo Verde já acolheu os exercícios Steadfast Jaguar (2006) e Saharan Express (2012).
 
 
 
 

Sem comentários:

Publicar um comentário