COM O TEMPO UMA IMPRENSA CÍNICA, MERCENÁRIA, DEMAGÓGICA E CORRUPTA, FORMARÁ UM PÚBLICO TÃO VIL COMO ELA MESMO

Joseph Pulitzer

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

40.º Aniversário da Proclamação da Independência e dos 500 anos de interação com Portugal

Comunicado de Imprensa do Porta Voz do VI Governo Constitucional da República Democrática de Timor-Leste.

Comemorações do 40.º Aniversário da Proclamação da Independência e dos 500 anos de interacção com Portugal


Vários eventos têm lugar nos próximos dias para comemorar dois acontecimentos muito importantes na história do povo timorense.

No dia 28 de novembro, Timor-Leste comemora o 40.º Aniversário da Proclamação da Independência. Foi nessa data que, em 1975, o texto da Proclamação da Independência da República Democrática de Timor-Leste foi lido pela primeira vez, por Francisco Xavier do Amaral, o primeiro Presidente da República.

Também no dia 28 de novembro, concretiza-se o ponto alto das comemorações dos 500 anos da interacção de duas civilizações: Timor-Leste e Portugal, e a Afirmação da Identidade Timorense, recordando achegada dos navegadores e missionários portugueses a Lifau, em 1515, no município de Oe-Cusse Ambeno. Ao longo deste ano de 2015, têm decorrido várias actividades que celebram a importância desta relação e o seu impacte sobre a identidade do povo de Timor-Leste.

As actividades destes dias foram preparadas pela Comissão Organizadora, liderada por Dionísio Babo Soares, Ministro de Estado, Coordenador dos Assuntos da Administração do Estado e da Justiça e Ministro da Administração Estatal. Os eventos estão a ser realizados em todo o território, com destaque para Oe-Cusse Ambeno e Tasi-Tolu, Díli.

Hoje, em Oe-cusse Ambeno, foi inaugurado o Monumento de Lifau, que apresenta uma caravela – o tipo de embarcação que trouxe os portugueses em 1515 –, com 8,5 toneladas de bronze e 13 metros de comprimento. Oito figuras, também em bronze, incluindo um porta-estandarte, marinheiros, um padre e timorenses fazem parte deste monumento. Esta noite, haverá um jantar oficial, oferecido pelo Presidente daRepública, Taur Matan Ruak.

Amanhã, Dia da Proclamação da Independência, o Presidente da República, Taur Matan Ruak, o Presidente do Parlamento Nacional, Vicente Guterres, o Primeiro-Ministro, Rui Maria de Araújo, e muitos outros dignitários de Timor-Leste, Portugal e outras nações juntar-se-ão às comunidades locais e funcionários para o Hastear da Bandeira Nacional, o minuto de silêncio em homenagem aos heróis caídos pela causa e para a leitura da declaração de 28 de Novembro de 1975, de Proclamação da Independência.

Em Díli, o Ministro do Planeamento e Investimento Estratégico, Kay Rala Xanana Gusmão, participará em cerimónias semelhantes a serem realizadas em Tasi-Tolu.

Muitas actividades serão realizadas antes de a bandeira nacional ser arriada em Timor-Leste, ao pôr-do-sol de sábado, incluindo competições desportivas e atribuição de prémios, eventos culturais, entre outros.

O Porta-Voz do VI Governo Constitucional, Ministro de Estado Agio Pereira, afirmou que "estes dias assinalam dois marcos na história da nossa nação, em que honramos a orgulhosa proclamação da nossa independência em 1975 e reconhecemos como os nossos 500 anos de interacção com Portugal nos forjaram como uma nação distinta nesta região. Como parte dessa interacção, reconhecemos o apoio espiritual, humano e material oferecido pela fé e Igreja Católica, particularmente durante o período da Resistência. Durante as décadas mais difíceis, quando lutávamos pela nossa independência, sobrevivemos sem apoio externo – o mundo virou-nos as costas. No entanto, lutámos para garantir que o país que emergiu do Timor Português não desaparecesse. Contra todos os obstáculos, não apenas sobrevivemos,como agora buscamos metas mais elevadas, como nação soberana e independente. Neste momento histórico, prestamos a nossa homenagem a todos aqueles que nos antecederam e olhamos para o futuro com determinação e esperança”.
 
 por : José Ramos Horta)


Sem comentários:

Publicar um comentário