COM O TEMPO UMA IMPRENSA CÍNICA, MERCENÁRIA, DEMAGÓGICA E CORRUPTA, FORMARÁ UM PÚBLICO TÃO VIL COMO ELA MESMO

Joseph Pulitzer

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Domingos Simões Pereira revê-se na decisão de excluir Baciro Djá do PAIGC

Domingos Simões Pereira congratula-se com a expulsão de Baciro Djá O Presidente do PAIGC, Domingos Simões Pereira, em deslocação actualmente a Paris, revê-se nesta decisão de excluir Baciro Djá do partido, embora não tivesse tomado conhecimento prévio da mesma.


O PAIGC, decidiu excluir Baciro Djá, ex primeiro-ministro designado pelo presidente José Mário Vaz, do movimento, enquanto três outros responsáveis foram suspensos do mesmo por 4 anos.
“Estamos em presença de uma infracção agravada pelo facto de apesar dos alertas, apesar dos apelos, apesar de toda a tentativa de dissuadir a intenção de provocar situações de rotura dentro do partido não ter resultado e termos realmente constatado uma tentativa concreta, mas continuada no tempo, de pôr em causa a unidade do partido, a coesão interna e o respeito pelos Estatutos e a disciplina. O PAIGC realmente tem que fazer valer a disciplina”, afirmou Domingos Simões Pereira a partir de Paris. 

A expulsão do terceiro vice-presidente do PAIGC foi determinada pelo Conselho Nacional de Jurisdição através de um acórdão afixado na vitrina na sede do partido em Bissau. 

Além de Baciro Djá, único a ser expulso, foram suspensos, por um período de quatro anos, os dirigentes Rui Diã de Sousa, Aristides Ocante da Silva e Respício Silva.

Todos são considerados culpados pela justiça do partido de desrespeito pelos estatutos, quando, em agosto, assumiram cargos ministeriais num executivo não reconhecido pelo partido.

Depois de exonerar Domingos Simões Pereira e o seu Governo no dia 12 de agosto, o Presidente guineense, José Mário Vaz, nomeou Baciro Djá como primeiro-ministro.
In:

Sem comentários:

Publicar um comentário