COM O TEMPO UMA IMPRENSA CÍNICA, MERCENÁRIA, DEMAGÓGICA E CORRUPTA, FORMARÁ UM PÚBLICO TÃO VIL COMO ELA MESMO

Joseph Pulitzer

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

O equívoco de que português é difícil, é fabricado

O equívoco de que o português é difícil é "intencionalmente fabricado" para tentar travar os esforços do Governo timorense em avançar na implementação do idioma em Timor-Leste, disse hoje à Lusa o primeiro-ministro.


"O equívoco de que o português é difícil é um equívoco intencionalmente fabricado para evitar esforços para conseguir o que queremos", disse Rui Maria Araújo à Lusa durante uma visita a uma escola de Oecusse, em referência ao ensino do português.

"Foi uma aposta estratégica, preceito constitucional do país e, embora difícil, vamos continuar a apostar nele", afirmou.

Rui Maria de Araújo visitou hoje a escola onde professores portugueses, pagos por Portugal e Timor-Leste, ensinam português a quase 500 alunos, um esforço alargado nos últimos anos a todos os municípios timorenses.

"Oecusse foi dos primeiros a receber a escola de referência e antes disso tinha um polo da escola portuguesa de DílI", explicou o chefe do Governo ao anfitrião da visita, Vitor Carvalho, o professor português que coordena esta escola de referência, hoje conhecida por Centro de Aprendizagem e Formação Escolar (CAFE).

Actualmente, explicou, o centro tem 438 crianças, com oito turmas do primeiro e segundo ciclos, quatro turmas do pré-escolar, duas do 5º e duas do 6º ano. Em janeiro, quando começa o novo ano escolar, o número de alunos deverá aumentar para cerca de 550, com mais um turma do pré-escolar e no 7º ano.

A escola de Oecusse acolhe hoje uma feira do livro, organizada pela Embaixada de Portugal, e uma exposição sobre os 500 anos dos laços entre portugueses e timorenses, do Arquivo e Museu da Resistência Timorense.

Estão ainda no centro escolar alunos de todos os municípios que participaram num concurso de discursos, em português, e hoje participam num concurso de escrita de contos, também em português.

Rui Araújo destacou que estão a participar em iniciativas em português alunos que não são das escolas de referência, demonstrando que há cada vez mais jovens a expressar-se em língua portuguesa.

Hoje será ainda lançado um novo dicionário Português-Tetum, desenvolvido ao longo dos últimos anos.

Os eventos estão a ser organizados no âmbito das cerimónias dos 500 anos da chegada de portugueses a Timor-Leste e do 40.º aniversário da proclamação de independência.

Sem comentários:

Publicar um comentário